Esportes

Madrugador, Rogério Ceni chega a BH em dia de apresentação como técnico do Cruzeiro

“Eu torço para que o grupo tenha desejos, tenha vontades, ímpeto, porque, afinal de contas, nós somos coadjuvantes, os atletas é que decidem”, disse treinador, no desembarque nesta manhã

Rogério Ceni desembarcou no Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Confins, no começo da manhã desta terça-feira. Ceni deixou Fortaleza às 3h50 desta terça-feira e, ao chegar ao aeroporto, foi recebido por Marcelo Djian, diretor de futebol do Cruzeiro, e Valdir Barbosa, diretor de comunicação do clube. Além da dupla, apenas jornalistas e curiosos acompanharam o desembarque do treinador em Confins.

– Muito contente. Para mim, é uma honra estar usando o azul do Cruzeiro agora. Espero corresponder, fazer um trabalho bacana. Trabalho que a gente possa reerguer nesse momento de dificuldade que o Cruzeiro enfrenta – disse o treinador durante o desembarque

O técnico seguiu direto para a Toca da Raposa, onde será apresentado à tarde como novo treinador do Cruzeiro. O GloboEsporte.com vai transmitir a coletiva de apresentação, ao vivo, a partir das 14h30. A entrevista será antes do treinamento. Logo em seguida, Ceni vai comandar a primeira atividade no novo clube.

– Nós viemos aqui tentar fazer um desafio maior pelo momento de dificuldade, momento de baixa que não é normal para o Cruzeiro, que é um clube acostumado a vencer. Teve um momento difícil, em 2011 e 2012, depois, em 2013 e 2014, campeão brasileiro, 2015 e 2016, passou por momentos de instabilidade e, 2017 e 2018, ganhando a Copa do Brasil, e agora volta a ter um momento instável – comentou

“Tomara que não seja tão duradouro quanto esses outros que passaram e, também por que logo chega o centenário, é 2021, se não me engano, né. Quem sabe a gente possa fazer parte disso tudo” – Ceni

– Tenho minhas convicções de trabalho. Agradeço, logicamente, à boa vontade de todos. Eu sei que hoje você fala dos jogadores… normalmente, todos gostam de você. E depois da primeira rodada alguns já não gostam muito, porque começam onze jogando. Mas eu torço para que o grupo tenha desejos, tenha vontades, ímpeto, porque, afinal de contas, nós somos coadjuvantes, os atletas é que decidem. Eu já tive do outro lado, como atleta, até pouco tempo atrás. Se eles acreditarem no trabalho e tiverem desejos de sair dessa situação, sem dúvida nenhuma o Cruzeiro consegue – disse Ceni.

Ainda no desembarque, Rogério Ceni foi perguntado sobre o estilo de jogo que adotaria no Cruzeiro. Para o novo treinador celeste, ele tem características distintas de Mano Menezes.