Curiosidades

Investir o dinheiro de um iPhone novo pode render até R$ 4 mil

Resistir à novidade pode ser uma boa ideia pra quem pretende guardar o dinheiro e aumentar os ganhos com uma aplicação

Quem tiver um dinheiro guardado e estiver pensando em comprar um iPhone 11, lançado nesta semana, deve refletir um pouco sobre a necessidade do gasto.

A versão mais cara, o iPhone 11 Pro Max, foi apresentada nos EUA por US$ 1.099 (cerca de R$ 4,490 na conversão direta). No entanto, o preço da novidade sobe para mais de R$ 8 mil e deve passar o patamar dos R$ 10 mil quando chegar às prateleiras das lojas brasileiras.

O economista e sócio da Oliveira Investimentos, Danilo Oliveira, recomenda que as pessoas permaneçam com seus modelos de celular atuais e invistam esse recurso. “Principalmente se você não for um profissional da área de tecnologia, ou necessite de 100% da capacidade do celular”.

O economista lembra que os equipamentos eletrônicos perdem valor muito rápido. Ele estima que quem comprou um iPhone XS Max, em 2018, por R$ 9.999 poderia encontrar o mesmo modelo por R$ 7.199 um ano após o lançamento, ou seja, uma desvalorização de R$ 2.799,01.

“Vale muito mais a pena ter cerca de 10 mil reais investidos do que comprar um celular novo e perder cerca de 3 mil reais em alguns meses”, completa.

Um brasileiro que tinha R$ 9.999 no banco, em 2018, e optou por colocar toda essa quantia em uma poupança, por exemplo, que rendeu em 12 meses 4,68%, teria neste mês de setembro R$ 10.467,06.

Essa pessoa teria um ganho de R$ 3.267,07 em comparação com quem comprou um iPhone top de linha no lançamento, considerando a desvalorização estimada pelo economista até setembro deste ano.

Olhando para o comportamento da economia de 2009 até o ano passado, o economista vê os fundos multimercado, que aplicam o dinheiro em diferentes segmentos de investimento, e que tiveram rendimento de 17,33% nos últimos 12 meses, como a melhor alternativa ao novo iPhone.